Código de conduta editorial

Código de Conduta Editorial dos Anais Educon

Política de Ética em Publicações e Declaração de Procedimentos Impróprios em Publicações

Este Periódico de Open Acess na área interdisciplinar da Educação e áreas afins (Anais) tem o compromisso com a ética e a qualidade de suas publicações. Padrões de comportamento ético são almejados por todas as partes – atores – envolvidas na publicação em nossos Anais como o autor, o editor dos Anais, o dos revisores, avaliadores ad hoc, membros do conselho científico e editorial. Entre práticas não aceitáveis pelos Anais é a do plágio e autoplágio, mudanças somente de títulos em artigos anteriormente publicados, Declarações fraudulentas ou intencionalmente imprecisas e outras práticas não desejáveis.

Deveres dos Editores:

  • Decisão de publicação: O editor dos Anais é responsável por decidir quais dos artigos submetidos aos Anais devem ser publicados, após a decisão dos avaliadores que são escolhidos pelo método double blind review. O editor é guiado pelas políticas do conselho editorial dos Anais e em estrita observância aos requisitos legais em matéria de difamação, violação de direitos autorais e plágio. O editor pode consultar o conselho editorial ou colaboradores na tomada de decisões. O Conselho Editorial é constituído por representantes acadêmicos de diferentes instituições de ensino e de pesquisa de diversas regiões do país e do exterior. Cabe também a cada membro do conselho editorial a função de ouvidor da comunidade científica atuante na área, garantindo a credibilidade acadêmica e a postura que se espera de uma publicação científica.

  • Regras Justas: O editor deve avaliar manuscritos no tocante ao seu conteúdo intelectual, sem distinção de raça, sexo, orientação sexual, crença religiosa, origem étnica, nacionalidade ou a filosofia política dos autores e sem conflito de interesses.

  • Confidencialidade: O editor e qualquer equipe editorial não devem divulgar quaisquer informações sobre um manuscrito submetido a qualquer outra pessoa, com exceção do próprio autor, revisores, potenciais colaboradores, outros conselheiros editoriais e do editor, conforme o caso.

  • Divulgação e Conflitos de interesse: O editor não deve usar informações que não tenham sido publicadas em sua própria investigação sem o consentimento expresso e por escrito do autor. O editor deve se abster de avaliar manuscritos nos quais tenha algum conflito de interesse resultante de relacionamentos competitivos ou colaborativos ou qualquer outro tipo de relacionamento ou conexões com qualquer um dos autores, empresas ou (possivelmente) instituições que estejam ligadas/conectadas aos artigos. Ao editor não caberá avaliar artigo de sua autoria, mesmo em co- autoria. O editor poderá publicar artigos de sua lavra nos presentes Anais, sem que passe por avaliação às cegas por seus pares, contanto que o mesmo artigo já tenha sido anteriormente publicado, seja por meio impresso e/ou digital, mas que já tenha passado por qualquer sistema de avaliação.

  • Participação e cooperação nas investigações: O editor deve tomar medidas de resposta razoáveis quando reclamações éticas forem apresentadas em relação a um manuscrito submetido ou artigo publicado.

  • Erros fundamentais em obras publicadas: Caso um autor descubra erro significativo ou imprecisão na sua própria obra publicada, é sua obrigação notificar imediatamente o editor da Anais (pelo e-mail anais@coloquioeducon.com), cooperando para retratar ou corrigir o artigo. O editor deverá retirar qualquer artigo de publicação dos Anais, caso o autor assim o deseje e se manifeste, no prazo de até 10 dias.

  • O editor poderá aceitar a publicação de artigo não inédito contanto que no bojo do mesmo venha indicando a fonte de sua primeira publicação e a devida autorização do editor anterior, sobretudo quando o artigo tenha sido publicado por meio impresso e comercial;

Deveres dos Revisores:

  • Contribuição para a decisão Editorial: A revisão por pares às cegas ajuda o editor na tomada de decisões editoriais e através das comunicações editoriais com o autor pode também auxiliá-lo no aperfeiçoamento do artigo.

  • Pontualidade: Qualquer avaliador selecionado que não se sente qualificado para avaliar a pesquisa relatada em um manuscrito ou sabe que a sua imediata revisão será impossível deve notificar o editor e desculpar-se do processo de revisão no prazo de até 15 (quinze) dias.

  • Padrões de objetividade: Comentários devem ser conduzidos de forma objetiva e os avaliadores devem expressar suas opiniões claramente com argumentos de apoio de acordo com os formulários de avaliação que recebem quando do envio às cegas do artigo para avaliar. Quando do envio da decisão editorial e caso o autor queira ter acesso ao formulário de avaliação, este será encaminhado, no entanto sem a identificação do avaliador, por questão de sigilo e ética.